[1]
C. Durão, «Colesteatoma em idade pediátrica: Análise retrospectiva de 12 anos de experiência do Hospital Fernando Fonseca», Port J ORL, vol. 52, n. 2, pp. 77-82, 1.