Resultados funcionais: Próteses de titânio versus osso autólogo

Autores

  • Tiago Órfão Interno do Internato Complementar de Otorrinolaringologia do Hospital de São João, Docente Voluntário de Otorrinolaringologia, Departamento de Órgãos dos Sentidos, Faculdade de Medicina do Porto, Portugal
  • Filipe Ramos Interno do Internato Complementar de Otorrinolaringologia do Hospital de São João, Docente Voluntário de Otorrinolaringologia, Departamento de Órgãos dos Sentidos, Faculdade de Medicina do Porto, Portugal
  • Helena Silveira Assistente Hospitalar do Hospital de São João, Docente Voluntária de Otorrinolaringologia, Departamento de Órgãos dos Sentidos, Faculdade de Medicina do Porto, Portugal
  • Margarida Santos Directora de Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital de São João, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.87

Palavras-chave:

otite média crónica, próteses de titânio, ossiculoplastia

Resumo

Introdução: A reabilitação auditiva de otites média crónicas (OMC) com erosão ossicular constitui um desafio cirúrgico. O presente estudo tem como objectivo analisar os resultados audiométricos das reconstruções ossiculares com próteses de titânio e osso autólogo.

Material e métodos: Foi efectuada uma análise retrospectiva das reconstruções ossiculares realizadas entre Outubro de 2008 e Julho de 2010. Analisaram-se os resultados audiométricos obtidos através da colocação de próteses de titânio (n=21) ou utilizando moldagem ossicular ou de cortical óssea (n=38).

Resultados e conclusões: Com a colocação de próteses de titânio obteve-se uma diminuição do air-bone gap (ABG) de 11,9 dB e uma diferença no pure tone average (PTA) de 13,7 dB. Utilizando material autólogo, verificou-se um ganho de 3,9 dB no ABG e de 6,8 dB no PTA. Os ganhos foram maiores no primeiro grupo, tanto a nível do ABG (p=0,0306) como do PTA (p=0,0380). Estes resultados são sobreponíveis a outros estudos e mostram a eficácia da utilização de próteses de titânio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Williams D. Titanium: epitome of biocompatibility or cause for concern. J. Bone Joint Surg. Br. 1994;76:348-9

Schwager K. Scanning electron microscopic findings in titanium middle ear prosthesis. Laryngorhinootologie 2000 Dec;79(12):762-6.

Iñiguez-Cuadra R, Alobid I, Borés-Domenech A, Menéndez-Colino L, et al. Type III Tympanoplasty with Titanium Total Ossicular Replacement Prosthesis: Anatomic and Functional Results. Otology & Neurotology 2010 Apr;31(3): 409-414.

Gardner EK, Jackson CG, Kaylie DM. Results with titanium ossicular reconstruction prosthesis. Laryn-goscope 2004 Jan;114(1):65-70.

Martin AD, Harner SG. Ossicular reconstruction with titanium prosthesis. Laryngoscope 2004 Jan;114(1):61-64.

Mardassi A, Deveze A, Sanjuan M, Mancini J, et al. Titanium ossicular chain replacement prosthesis: Prognostic factors and preliminary functional results. Eur. Ann. Otorhinolaryngol. Head Neck Dis. 2011 Apr;128(2):53-58.

Alaani A, Raut VV. Kurz titanium prosthesis ossiculoplasty-follow-up statistical analysis of factors affecting one year hearing results. Auris Nasus Larynx 2010 Apr;37(2);150-154.

Woods O, El Fata F, Saliba I. Ossicular reconstruction: incus versus universal titanium prosthesis. Auris Nasus Larynx 2009 Aug;36(4):387-392.

Coffey CS, Lee FS, Lambert PR. Titanium versus nontitanium prostheses in ossiculoplasty. Laryngoscope 2008 Set;118(9):1650-1658.

Vassbotn F, Møller P, Silvola J. Short-term results using Kurz titanium ossicular implants. Eur. Arch. Otorhinolaryngol. 2007;264(1):21-25.

Schmerber S, Troussier J, Dumas G, Lavieille J, et al. Hearing results with the titanium ossicular replacement prosthesis. Eur. Arch. Otorhinolaryngol. 2006;263(4):347-54.

Como Citar

Órfão, T., Ramos, F., Silveira, H., & Santos, M. (1). Resultados funcionais: Próteses de titânio versus osso autólogo. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 50(2), 117-121. https://doi.org/10.34631/sporl.87

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 > >>