Anomalias do bulbo da jugular e suas implicações cirúrgicas

  • Alexandra Gomes Interna Formação Específica Otorrinolaringologia - Hospital Senhora Oliveira - Guimarães
  • Patrícia Gomes Interna Formação Específica Otorrinolaringologia - Hospital Senhora Oliveira - Guimarães
  • Pedro Salvador Interno Formação Específica Otorrinolaringologia - Hospital Senhora Oliveira - Guimarães
  • Rita Lopes Moura Assistente Hospitalar - Hospital Senhora Oliveira - Guimarães
  • Rui Fonseca Assistente Graduado - Hospital Senhora Oliveira - Guimarães
Palavras-chave: bulbo jugular, ouvido médio, divertículo, hemorragia

Resumo

Introdução: As anomalias do bulbo da jugular (ABJ) são maioritariamente assintomáticas e manifestam-se como achados acidentais durante a intervenção cirúrgica.

Apresentam-se quatro casos clínicos de doentes com esta patologia, submetidos a cirurgia de ouvido médio.

Casos Clínicos: Realizou-se miringotomia numa criança de 7 anos, com uma massa azulada retrotimpânica. A TC e RM revelaram um bulbo da jugular alto. O segundo e terceiro doentes foram submetidos a timpanotomia exploradora. Num dos casos, no levantamento do retalho timpanomeatal, constatámos uma protrusão do bulbo jugular no mesotímpano, adjacente à articulação incudoestapédica. Este achado, correspondente a divertículo jugular levou-nos a suspender a cirurgia. No outro caso foi realizada estapedotomia, cuja TC revelava a presença de bulbo da jugular alto associado a pequeno divertículo medial. A última doente foi submetida a mastoidectomia por colesteatoma. Na abordagem do ouvido médio ocorreu hemorragia proveniente do bulbo da jugular alto. A intercorrência foi controlada por tamponamento com Surgicel®.

Conclusão: As ABJ são um desafio diagnóstico pré-operatório, podendo resultar numa lesão inadvertida do sistema venoso.

Downloads

Não existe ainda disponível informação de downloads.

Referências

Wadin K, Thomander L, Wilbrand H. Effects of a high jugular fossa and jugular bulb diverticulum on the inner ear. Acta Radiol Diagn (Stockh) 1986;27:629–636.

Ichijo H, Hosokawa M. Shinkawa H. The relationship between mastoid pneumatization and the position of the sigmoid sinus. Eur Arch Otorhinolaryng 1996;253:421– 424.

Rausch SD, Xu WZ, Nadol JB Jr. High jugular bulb: implications for posterior fossa neurotologic and cranial base surgery. Ann Otol Rhinol Laryngol 1993;102:100–107.

Hourani R, Carey J, Yousem DM. Dehiscence of the jugular bulb and vestibular aqueduct: findings on 200 consecutive temporal bone computed tomography scans. J Comput Assist Tomogr 2005;29:657–662.

Atilla S, Akpek S, Uslu S, Ilgit ET, Isik S. Computed tomographic evaluation of surgically significant vascular variations related with the temporal bone. Eur J Radiol 1995;20:52–56.

Weiss RL, Zahtz G, Goldofsky E, et al. High jugular bulb and conductive hearing loss. Laryngoscope 1997;107:321–7.

Vachata P, Petrovicky P, Sames M. An anatomical and radiological study of the high jugular bulb on high-resolution CT scans and alcohol-fixed skulls of adults. J Clin Neurosci 2010;17:473Y8.

Friedmann DR, Le BT, Pramanik BK, Lalwani AK. Clinical spectrum of patients with erosion of the inner ear by jugular bulb abnormalities. Laryngoscope. 2010;120:365-372.

Publicado
2019-03-07
Como Citar
Gomes, A., Gomes, P., Salvador, P., Moura, R. L., & Fonseca, R. (2019). Anomalias do bulbo da jugular e suas implicações cirúrgicas. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia-Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 56(2), 79-85. Obtido de https://journalsporl.com/index.php/sporl/article/view/716
Secção
Caso Clínico