Perfil audiométrico das crianças com diagnóstico de infecção congénita por citomegalovírus – Dados de 9 anos de consulta de surdez infantil

  • Sílvia Fidalgo Alves Hospital Garcia de Orta, Almada
  • Mónica Caixa Hospital Espírito Santo, Évora
  • Maria Helena Rosa Hospital Garcia de Orta, Almada
  • Mário Santos Hospital Garcia de Orta, Almada
  • Luís Antunes Hospital Garcia de Orta, Almada
Palavras-chave: Infecção congénita por citomegalovírus, Surdez sensorioneural, Consulta de Surdez Infantil

Resumo

A infecção congénita por citomegalovírus é a infecção congénita mais comum no recém-nascido. Estima-se que 1% dos recém-nascidos esteja infectado pelo vírus.

Porque, na sua grande maioria, as infecções congénitas por citomegalovírus se manifestam subclinicamente, a principal causa de surdez sensorioneural não hereditária pode estar a ser negligenciada. Este trabalho pretende avaliar a prevalência de infecção congénita por citomegalovírus das crianças observadas na Consulta de Surdez Infantil do Serviço de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial do Hospital Garcia de Orta no período entre 2007 e 2015 e apurar as suas consequências auditivas diagnosticadas até à data do presente trabalho – Dezembro de 2015.

Na Consulta de Surdez Infantil decorrida entre 2007 e 2015, no que se refere a casos de infecção congénita por citomegalovírus, foi detectado um caso de surdez sensorioneural, bilateral, grave a profunda, em programa de reabilitação auditiva há 5 anos; nos restantes 11 casos, os dados disponíveis revelam apenas alterações com necessidade de acompanhamento, por alterações no padrão de progressão central do estímulo auditivo ou situações de patologia do ouvido médio.

Porque a surdez sensorioneural conferida pela infecção congénita pelo citomegalovírus é evolutiva ou flutuante, há a necessidade mantida de vigilância audiológica regular. 

Downloads

Não existe ainda disponível informação de downloads.

Referências

Lopo S, Vinagre E, Palminha P. Vírus citomegalo. In: Avaliação do Programa

Nacional de vacinação: 2º Inquérito Serológico Nacional. Portugal Continental

-2002:101-111.

Secção de Neonatologia da Sociedade Portuguesa de Pediatria. Vírus

Citomegálico Humano - CMV. In: Protocolos de Diagnóstico e Terapêutica em

Infecciologia Perinatal. 2007:63-72.

Pass R.F, Anderson B. Mother-to-Child Transmission of Cytomegalovirus

and Prevention of Congenital Infection. J Pediatric Infect Dis Soc. 2014 Sep;3

Suppl 1:S2-6.

Goderis J, De Leenheer E, Smets K, Van Hoecke H, Keymeulen A, Dhooge I.

Hearing Loss and Congenital CMV Infection: A Systematic Review. Pediatrics.

Nov;134(5):972-82.

Smiechura M, Struzycka M, Konopka W. Congenital and acquired

cytomegalovirus infection and hearing evaluation in children. Otolaryngol Pol.

Nov-Dec;68(6):303-7.

Cohen B.E, Durstenfelf A, Roehm PC. Viral Causes of Hearing Loss: A Review

for Hearing Health Professionals. Trends in Hearing. 2014. Jul 29;18:1-17

Swanson E.C, Schleiss M.R. Congenital Cytomegalovirus Infection:

New prospects for Prevention and Therapy. Pediatr Clin North Am. 2013

Apr;60(2):335-49.

Ferreira R, Martins J.H, Alves M, Oliveira J, Silva L.F, Ribeiro C, Paiva A.D.

Results of Cochlear Implantation in Children with Congenital Cytomegalovirus

Infection versus GJB2 Mutation. Journal oh Hearing Science. 2015; 5(2):36-41.

Publicado
2019-03-06
Como Citar
Alves, S. F., Caixa, M., Rosa, M. H., Santos, M., & Antunes, L. (2019). Perfil audiométrico das crianças com diagnóstico de infecção congénita por citomegalovírus – Dados de 9 anos de consulta de surdez infantil. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 56(2), 61-65. Obtido de https://journalsporl.com/index.php/sporl/article/view/681
Secção
Artigo de Revisão