Reabilitação vocal com fístula fonatória microvascular

  • Vera Sofia Soares Serviço de Otorrinolaringologia/Cirurgia Maxilo-Facial, Hospital de São Teotónio EPE, Viseu
  • A. Canas Marques Serviço de Otorrinolaringologia/Cirurgia Maxilo-Facial, Hospital de São Teotónio EPE, Viseu
  • R. Amaral Serviço de Otorrinolaringologia/Cirurgia Maxilo-Facial, Hospital de São Teotónio EPE, Viseu
  • J. Marques dos Santos Serviço de Otorrinolaringologia/Cirurgia Maxilo-Facial, Hospital de São Teotónio EPE, Viseu
Palavras-chave: retalho microvascularizado, fístula fonatória, voz, laringectomia, reabilitação vocal

Resumo

Introdução: A reabilitação vocal pós laringectomia total é um dos maiores desafios de qualquer equipa cirúrgica de cabeça e pescoço. Inclui a reconstrução vocal sem comprometer a protecção da via aérea durante a deglutição. Entre os vários métodos que permitem conseguir esse duplo objectivo, a punção traqueoesofágica com utilização de prótese é provavelmente o mais utilizado, apesar de alguns inconvenientes que lhe estão associados: necessidade de alta pressão de fonação inicial, formação de tecido de granulação em redor do shunt, risco de bloqueio ou deslocação da prótese, dificuldade na troca e necessidade de limpeza frequente da prótese. Os cuidados permanentes com esses dispositivos representam uma morbilidade significativa para o doente laringectomizado, pelo que em casos seleccionados outras alternativas devem ser ponderadas. Uma dessas alternativas é a reconstrução com retalho microvascularizado. Apresentamos um caso clinico com reconstrução satisfatória em termos funcionais.

Material e métodos: Apresentação de um caso clinico de fistula fonatória microvascular utilizando um retalho antebraquial. Revisão da bibliografia.

Resultados: A evolução pós cirúrgica do doente foi favorável, conseguindo-se uma boa reabilitação funcional subjectiva e objectiva. A qualidade vocal do doente é satisfatória e a aspiração, residual e sem complicações. A configuração do retalho permitiu uma relativamente fácil construção do neo- tubo vocal.

Conclusões: A reconstrução fonatória pós laringectomia total com retalho microvascularizado do antebraço permite obter uma razoável qualidade vocal, sem aumentar o risco de aspiração durante a deglutição; a necessidade de cuidados mínimos a longo prazo resulta numa melhor qualidade de vida para o doente, devendo ser uma opção a oferecer na ausência de contraindicação a esta técnica.

Downloads

Não existe ainda disponível informação de downloads.

Referências

Brown DH, Hilgers FJM, Irish JC, Balm AJM. Postlaryngectomy voice rehabilitatin: state of the art at the millenium. World J. Surg. 2003; 27:824-831

Elmiyeh B, Dwivedi RC, Jallali N, Chisholm EJ et al. Surgical voice restoration after total laryngectomy: An overview.Indian Cancer 2010; 47:239-247

Calcaterra TC, Zwitman DH. Vocal rehabilitation after partial or total laryngectomy. Calif Med 1972 Aug;117:12-15

Kobayashi M, Meguro E, Hayakawa Y, Irinoda T. et al. A new technique using free ileocecal patch transplantation for secondary voice restoration after total laryngectomy. J Plast Reconstr Surgery 2008;61:e5-e9

Hussain A, Dolph JL, Padilla JF 3rd, Silver S. Tubed, folded radial forearm free flap for pharyngeal reconstruction and voice rehabilitation (report). Ann Plast Surg. 1993 Jun;30(6):541-544,

Magnilia AJ, Lundy DS, Casiano RC et al. Speech restoration and complications of primary versus secondary tracheoesophageal puncture following total laryngectomy. Laryngoscope 1989;99:489-91

Hagen R. Surgical voice restoration following total laryngectomy. HNO 2005. Jul;53(7):602-611

Saito H, Fujieda S, Ohtsubo T, Tsuda G. Tracheoesophageal shunt method with omohyoid muscle loop for voice restoration. Arch Otolaryngol Head Neck Surg 2003;129:321-323

Hagen R. Laryngoplasty with a radialis pedicle flap from the forearm: a surgical procedure for voice rehabilitation after total laryngectomy. Am J Otolaryngol. 1990 Mar-Apr;11(2):85-89

Hagen R. Voice Rehabilitation after total laryngectomy: a microvascular substitute larynx tube (laryngoplasty) instead of a voice prosthesis. Laryngo-Rhino-Otol 1990; 69(4):213-216

Kawahara H, Shiraishi T, Yasugawa H, Okamura K et al. A new surgical technique for voice restoration after laryngopharyngoesophagectomy with a free ileocolic graft. Surg 1992;111:569-75

Chen HC, Mardini S, Salgado CJ, Ozkan O et al. Free microvascular transfer of the vermiform appendix for creation of a tracheo- oesophageal fistula: a new method od voice reconstruction. J Plast Reconstr Surgery 2006;59:1233-1240

Chen H, Mardini S, Yang C. Voice reconstruction using the free ileocolon flap versus the pneumatic artificial larynx: a comparison of patient’s preference and experience following laryngectomy. J Plast Reconstr Surgery 2006;59:1269-1275

Como Citar
Soares, V. S., Marques, A. C., Amaral, R., & dos Santos, J. M. (1). Reabilitação vocal com fístula fonatória microvascular. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 51(3), 189-193. Obtido de https://journalsporl.com/index.php/sporl/article/view/67
Secção
Caso Clínico