Avaliação dos conhecimentos de otorrinolaringologia dos internos complementares de medicina geral e familiar

Autores

  • Tiago Órfão Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar de São João EPE, Porto, Portugal - Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto
  • Filipa Camacho da Corte Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar de São João EPE, Porto
  • Raquel Aires Pereira USF Ponte Velha, ACeS Grande Porto I - Santo Tirso/Trofa
  • Helena Silveira Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar de São João EPE, Porto, Portugal - Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto
  • Jorge Spratley Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar de São João EPE, Porto, Portugal - Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto, Portugal
  • Margarida Santos Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar de São João EPE, Porto

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.652

Palavras-chave:

Otorrinolaringologia, Medicina Geral e Familiar, Educação Médica.

Resumo

Introdução: A Otorrinolaringologia (ORL) é uma área importante nos Cuidados de Saúde Primários. Este estudo avalia os conhecimentos de ORL entre os Internos de Medicina Geral e Familiar (IMGF).

Métodos: Realização de um inquérito aos IMGF (n=102) com perguntas teóricas/teorico-práticas (n=8) e imagens de otoscopias (n=10). Correlação com a faculdade, ano de internato, realização de estágio ORL, entre outros.

Resultados: A percentagem de otoscopias e de perguntas teórico-práticas corretas foi de 37% e 65%, respetivamente. Verificou-se um maior número de respostas certas nos licenciados/mestres pela FMUP (p=0,01) e naqueles que efectuaram estágio num serviço ORL (p<0,01). Não houve diferenças em relação ao ano de internato (p=0,07) e duração do estágio (p=0,17). Cerca de 92% dos inquiridos gostariam de ter mais formação nesta área.

Conclusões: Os conhecimentos de ORL dos Internos de MGF apresentam lacunas que variam de acordo com a faculdade frequentada e a participação num estágio de ORL.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Griffiths E. Incidence of ENT problems in general practice. J Royal Soc Med. 1979;72(10):740-2.

Donnelly MJ, Quraishi MS, McShane DP. ENT and general practice: a study of paediatric ENT problems seen in general practice and recommendations for general practitioner training in ENT in Ireland. Irish J Med Sci. 1995;164(3):209-11.

Campisi P, Asaria J, Brown D. Undergraduate otolaryngology education in Canadian medical schools. Laryngoscope. 2008;118(11):1941-50.

Khan MM, Saeed SR. Provision of undergraduate otorhinolaryngology teaching within General Medical Council approved UK medical schools: what is current practice? J Laryngol Otol. 2012;126(4):340-4.

Haddad J, Jr., Shah J, Takoudes TG. A survey of US medical education in otolaryngology. Arch Otolaryngology- Head Neck Surg. 2003;129(11):1166-9.

American Medical Association. Truth in advertising: 2008 and 2010 survey results. Available from: http://wwwama-assnorg/resources/doc/arc/tiasurveypdf

Pichichero ME, Poole MD. Comparison of performance by otolaryngologists, pediatricians, and general practioners on an otoendoscopic diagnostic video examination. International journal of pediatric otorhinolaryngology. 2005;69(3):361-6.

Error ME, Wilson KF, Ward PD, Gale DC, et al. Assessment of Otolaryngic Knowledge in Primary Care Residents. Otolaryngol Head Neck Surg. 2013.

Sharma A, Machen K, Clarke B, Howard D. Is undergraduate otorhinolaryngology teaching relevant to junior doctors working in accident and emergency departments? The J Laryngol Otol. 2006;120(11):949-51.

Clamp PJ, Gunasekaran S, Pothier DD, Saunders MW. ENT in general practice: training, experience and referral rates. J Laryngol Otol. 2007;121(6):580-3.

Publicado

2017-10-30

Como Citar

Órfão, T., Camacho da Corte, F., Aires Pereira, R., Silveira, H., Spratley, J., & Santos, M. (2017). Avaliação dos conhecimentos de otorrinolaringologia dos internos complementares de medicina geral e familiar. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 54(4), 217-225. https://doi.org/10.34631/sporl.652

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 4 > >>