Neurofibromatose tipo ii : a propósito de casos clínicos

  • Miguel Silva Interno do Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
  • José Romão Assistente Hospitalar do Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
  • António Diogo de Paiva Director de Serviço de Otorrinolaringologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Palavras-chave: Neurofibromatose, schwannoma vestibular

Resumo

Introdução: A neurofibromatose tipo II é uma doença autossómica dominante rara, caracterizada pelo aparecimento de múltiplas neoplasias benignas no sistema nervoso. As manifestações clínicas são variadas. Dependendo da extensão e da localização das neoplasias, as queixas mais frequentes são hipoacúsia, acufenos, alterações de equilíbrio, sinais neurológicos focais e hidrocefalia.

Objectivo: Apresentação de três casos clínicos cuja manifestação inaugural foi um quadro clínico do foro otorrinolaringológico. Pretende-se chamar atenção para esta patologia e realizar uma revisão da literatura.

Material e Métodos: Neste artigo são apresentados os últimos três casos clínicos diagnosticados no serviço de Otorrinolaringologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra. Reportam-se as manifestações clínicas inaugurais, os exames complementares de diagnóstico utilizados, a terapêutica seleccionada e o seu resultado clínico.

Discussão: Na neurofibromatose tipo II, ocorre uma mutação genética, localizada no braço longo do cromossoma 22. O gene de NF2 mutante provoca diminuição da produção ou da função de uma proteína supressora tumoral, a merlina. Os indivíduos afectados desenvolvem, ao longo da vida, quadro clínico secundário a neoplasias benignas dispersas no sistema nervoso central, destacando-se o schwannoma vestibular bilateral. O diagnóstico de neurofibromatose tipo II exige um índice elevado de suspeição dado a variabilidade nas formas de apresentação clínica e na idade de surgimento. Com este trabalho, demonstrámos que a manifestação inaugural desta doença grave, que limita quer a qualidade de vida quer a esperança média de vida, pode ser um quadro clínico comum na consulta de otorrinolaringologia.

Conclusão: O otorrinolaringologista é, muitas vezes, o primeiro clínico a detectar manifestações desta doença. É importante incluir esta patologia no diagnóstico diferencial das alterações inespecíficas de equilíbrio acompanhadas por outros sinais neurológicos focais, doentes com hipoacúsia neurossensorial bilateral assimétricas e doentes com surdez súbita bilateral.

Downloads

Não existe ainda disponível informação de downloads.

Referências

Evans DG. Neurofibromatosis type 2 (NF2): A clinical and molecular review.

Orphanet Journal of Rare Diseases 2009, 4:16 1186/750

Evans DG, Huson S, Donnai D, Neary W, et al. A clinical study of type 2

neurofibromatosis. Q J Med 1992, 84:603-18.

Evans DG. Neurofibromatosis type 2. Handb Clin Neur. 2015;132:87-96

SM Huson. The neurofibromatosis: more than just a medical curiosity. J R

Coll Physicians Edinb 2006; 36:44–50

Wishart JH. Case of tumours in the skull, dura mater, and brain. Edinburgh

Med Surg J. 1822;18:393–97.

Gardner, J & Frazier C. Bilateral acoustic neurofibromas: a clinical study and

field survey of a family of five generations with bilateral deadness in thirty

eight members. Arch Neurol Psych, 1930;23;266-302

Ruttledge, Martin H., Phelan C, Claudio J, et al. "Type of Mutation in the

Neurofibromatosis Type 2 Gene (NF2) Frequently Determines Severity of

Disease." American Journal of Human Genetics. 1996, 59: 331-42,

Michael E. Baser, Aeschlinman D, Joe H, et al. Predictors of the Risk of

Mortality in Neurofibromatosis 2. Am. J. Hum. Genet. 2002, 71:715–23,

Szudek J, Briggs R, Leung R. Surgery for neurofibromatosis 2. Curr Opin

Otolaryngol Head Neck Surg. 2012 Oct; 20(5):347-52.

Subbiah V, Slopis J, et al. Treatment of patients with advanced

neurofibromatosis type 2 with novel molecularly targeted therapies: from

bench to bedside. J Clin Oncol. 2012 Feb 10;30(5):e64-8.

Publicado
2017-05-31
Como Citar
Silva, M., Romão, J., & Diogo de Paiva, A. (2017). Neurofibromatose tipo ii : a propósito de casos clínicos. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 54(3), 187-191. Obtido de https://journalsporl.com/index.php/sporl/article/view/625
Secção
Artigo de Revisão