CIRURGIA TRANSFENOIDAL DA PATOLOGIA SELAR - ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 180 DOENTES SUBMETIDOS A CIRURGIA

Autores

  • Rui Cerejeira Interno do Serviço de ORL dos HUC
  • Sofia Paiva Interno do Serviço de ORL dos HUC
  • Paulo Gonçalves Assistente Eventual de ORL dos HUC
  • Manuel Rito Médico especialista de Neurocirurgia dos HUC
  • Fracisco Belo Médico especialista de Neurocirurgia dos HUC
  • Lima Gouveia Chefe de Serviço de ORL dos HUC
  • António Paiva Director de Serviço de ORL dos HUC

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.492

Palavras-chave:

Transfenoidal, patologia selar

Resumo

O acesso cirúrgico à região intraselar pode fazer-se através de abordagens transcranianas (ou altas) e extracranianas (ou baixas).

As vias baixas mais utilizadas são a sublabial-transfenoidal e a endonasal-transfenoidal (ou trans-septo-esfenoidal).

As vias transantral tronsfenoidal (através de uma operação de Coldwell-Luc) e transetmoidal (através de uma etmoidectomia externa) são usados menos frequentemente.

Nos doentes operados dos Serviços de Neurocirurgia e de ORL dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) a via endonasal-transfenoidal é a mais utilizada.

Os autores pretendem analisar a experiência da equipa Rino-Neuro-Cirúrgica dos HUC no período de tempo entre Janeiro de 2000 o Dezembro de 2005, no que se refere à abordagem transfenoidal da patologia selar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Como Citar

Cerejeira, R., Paiva, S., Gonçalves, P., Rito, M., Belo, F., Gouveia, L., & Paiva, A. (1). CIRURGIA TRANSFENOIDAL DA PATOLOGIA SELAR - ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 180 DOENTES SUBMETIDOS A CIRURGIA. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 44(4), 353-356. https://doi.org/10.34631/sporl.492

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 > >>