Implantação coclear por surdez pós-meningite bacteriana versus surdez congénita - Comparação de desempenhos

Autores

  • Ana Margarida Simões Interno Complementar do Serviço ORL, Centro Hospitalar de Coimbra E. P. E., Portugal
  • Luís Filipe Silva Assistente Graduado do Serviço ORL, Centro Hospitalar de Coimbra E. P. E.; Portugal
  • Guiomar Gonçalves Oliveira Serviço de Pediatria, Centro Hospitalar de Coimbra - E.P.E, Professora convidada da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Portugal
  • Ana Rita Monteiro Interno Complementar do Serviço ORL, Centro Hospitalar de Coimbra E. P. E., Portugal
  • João Eloi Moura Assistente Hospitalar do Serviço ORL, Centro Hospitalar de Coimbra E. P. E., Portugal
  • Maria Conceição Peixoto Interno Complementar do Serviço ORL, Centro Hospitalar de Coimbra E. P. E., Portugal
  • Carlos Alberto Ribeiro Director do Serviço ORL, Centro Hospitalar de Coimbra E. P. E., Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.45

Palavras-chave:

meningite, implante coclear, surdez

Resumo

Introdução: A meningite bacteriana é uma conhecida causa de surdez adquirida. Esta pode ter graus variáveis e consequências inevitáveis, se não reabilitada em tempo útil. O Implante coclear (IC), como forma de reabilitação da surdez profunda, tem reconhecida eficácia, mas melhores ou piores desempenhos são possíveis. Alguns autores sugerem que nas crianças implantadas pós-meningite bacteriana são espectáveis resultados menos favoráveis em relação aos implantados por outras causas, nomeadamente surdez congénita.

Objectivo: Avaliar os resultados das capacidades audio-orais com implante coclear em crianças com surdez profunda pósmeningite bacteriana e compara-los com os resultados de crianças implantadas por surdez profunda congénita.

Metodologia: Estudo retrospectivo baseado na população de crianças surdas profundas admitidas no programa de reabilitação auditiva com IC no Centro Hospitalar de Coimbra E.P.E., entre 1993 e 2010, com revisão dos casos de crianças implantadas por surdez profunda após meningite bacteriana (24 casos) e comparação de resultados de desempenho com IC (performance auditiva, produção de fala e voz) na surdez por meningite (em idade pré e peri-lingual) e na surdez congénita.

Resultados: Os resultados dos testes das capacidades audioorais para audição, produção de fala e voz foram semelhantes no grupo de implantação pós-meningite e no de surdez congénita (valor de p superior a 0,05 em todos os testes, excepto, o teste SIR p=0,004).

Conclusões: Não houve diferenças estatisticamente significativas nos testes das capacidades audio-orais entre os 2 grupos estudados; o desempenho com IC foi semelhante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Anjos LP, Queirós F, Pereira MC, Brandão M et. al, Prognóstico audiológico tardio relacionado à meningite em lactentes, Arq

Neuropsiquiatr 2004 Sep;62(3-A):635-40

Du Y, Wu X, Li L, Mechanisms of bacterial meningitis-related deafness, Drug Discovery Today: Disease Mechanisms/Hearing

Disorders. 2006 Spring;3(1):115-8

Wellman MB, Sommer DD, McKenna J, Sensorioneural Hearing Loss in Postmeningitic Children, Otol Neurotol. 2003 Nov; 24(6):907-12

Kutz JW, Simon LM, Chennupati SK, Giannoni CM et. al., Clinical Predictors for Hearing Loss in Children With Bacterial Meningitis, Arch

Otolaryngol Head Neck Surg. 2006 Sep;132(9):941-5

Merkus P, Free RH, Mylanus EAM, Stokroos R et. al., Dutch Cochlear Implant Group (CI-ON): Consensus Protocol on Postmeningitis Hearing

- Evaluation and Treatment, Otol Neurotol. 2010 Oct;31(8):1281-6

Reeck JB, Lalwani AK, Isolated Vestibular Ossification after Meningitis Associated with Sensorioneural Hearing Loss, Otol Neurotol. 2003

Jul;24(4):576-81

Richardson MP, Reid A, Tarlow MJ, Rudd PT, Hearing loss during bacterial meningitis, Arch Dis Child. 1997 Feb;76(2):134-8

Bevilacqua MC, Moret ALM, Costa Filho OA, Nascimento LT et. Al., Implantes cocleares em crianças portadoras de deficiência auditiva decorrente de meningite, Rev Bras Otorrinolaringol. 2003 Nov;69(6):760-4

Mattiola LR, Makowiecky M, de Salles CEG, Cardoso MP et. Al., Labirintite Ossificante. Relato de um caso e Revisão da Literatura, Arq.

Int. Otolaringol. 2008 Abr;12(2):300-2

Durisin N, Arnoldner C, Stover T, Lenarz T et. al., Audiological performance in cochlear implanted patients deafened by meningitis

depending on duration of deafness, Eur Arch Otolaryngol. 2008 Apr;265(4):381-8

Mitchell TE, Psarros C, Pegg P, Rennie M et. al., Performance after cochlear implantation: a comparison of children deafened by meningitis and congenitally deaf children, J Laryngol Otol. 2000 Jan;114(1):33-7

Richardson MP, Williamson TJ, Reid A, Tarlow MJ, et. al., Otoacoustic emissions as a screening test for hearing impairment in

children recovering from acute bacterial meningitis, Pediatrics. 1998 Dec; 102(6): 1364-8

Como Citar

Simões, A. M., Silva, L. F., Oliveira, G. G., Monteiro, A. R., Moura, J. E., Peixoto, M. C., & Ribeiro, C. A. (1). Implantação coclear por surdez pós-meningite bacteriana versus surdez congénita - Comparação de desempenhos. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 51(4), 219-225. https://doi.org/10.34631/sporl.45

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)