Paralisia das cordas vocais: 10 anos de experiência

  • Inês Sousa Ribeiro CHVNG/E - Serviço de ORL
  • Sandra Alves CHVNG/E - Serviço de ORL
Palavras-chave: paralisia unilateral das cordas vocais, paralisia bilateral das cordas vocais, imobilidade laríngea, disfonia, dispneia, disfagia, laringoplastia de medialização, tiroplastia, injecção laringea, lateralização

Resumo

Introdução: A paralisia das cordas vocais é uma entidade fundamental e desafiante no seu diagnóstico e terapêutica. Este estudo visa avaliar a experiência de 10 anos do Serviço de ORL do CHVNG/E.

Material e Métodos: Pesquisaram-se intervenções cirúrgicas e doentes avaliados por nasofibrolaringoscopia com o diagnóstico “Paralisia das Cordas Vocais” entre 1 de Julho de 2004 e 30 de Junho de 2014. Avaliou-se a etiologia, abordagem diagnóstica e terapêutica e outcome.

Resultados: A etiologia mais frequente é a iatrogenia (66,4%), principalmente a cirurgia tiroideia (90,7%). A disfonia é o sintoma mais frequente (82,3%), podendo ainda ocorrer disfagia e dispneia. O diagnóstico é feito com uma história clínica cuidada e exames dirigidos. 74,3% dos doentes iniciaram terapia da fala, com boa resposta na paralisia unilateral. 8,5% apresentaram recuperação completa da mobilidade, 49,1% melhoria da função glótica. Os casos refractários necessitaram de cirurgia: na paralisia unilateral, injecção laríngea de medialização (34,8%); na paralisia bilateral, procedimento de lateralização temporário ou definitivo (65,9%), e traqueostomia (19,1%). 13,3% dos doentes necessitaram de pelo menos uma reintervenção para controlo sintomático.

Conclusão: A paralisia das cordas vocais não é uma doença em si, mas uma manifestação de uma patologia de base, pelo que a etiologia variável obriga a um estudo diagnóstico apurado. A abordagem terapêutica dirige-se ao alívio sintomático, seja através de técnicas conservadoras ou cirúrgicas, permitindo restabelecer parcial ou totalmente a função fonatória, respiratória e deglutição.

Downloads

Não existe ainda disponível informação de downloads.

Referências

Jackson C., Ventriculocordectomy: a new operation for the cure of goitrous paralytic laryngeal stenosis. Arch Surg, 1922, 4(2):257-274

Thornell WC, Intralaryngeal approach for arytenoidectomy in

bilateral abductor paralysis of the vocal cords: a preliminar report, Arch Otolaryngol, 1948, 47(4):505-508

Ossof RH, et al., Endoscopic laser arytenoidectomy for the treatment of bilateral vocal cord paralysis. Laryngoscope, 1984, 94(10):1923-1927

Dennis DP, Kashima H, Carbon dioxide laser posterior cordectomy for treatment of bilateral vocal cord paralysis, Ann Otol Rhinol Laryngol, 1989, 98:930-934

Crumley RL, Endoscopic laser medial arytenoidectomy for airway management in bilateral laryngeal paralysis. Ann Otol Rhinol Laryngol, 1993, 102(2):81-84

Lichtenberger G, Endo-extralaryngeal needle carrier instrument.

Laryngoscope, 1983, Oct; 93(10):1348-50

Yung K, Likhterov I, Courey M, Effect of temporary vocal fold injection medialization on the rate of permanente medialization laryngoplasty in unilateral vocal fold paralysis patients. Laryngoscope, 2011, 121:2191-94

Bruening W. Uber eine neue Behandlungsmethode der Rekurrenslahmung. Verh Dtsch Laryngol 1911, 18:23

Isshiki N, Morita H, Okamura H, Hiramoto M, Thyroplasty as a new phonosurgical technique. Acta Oto-laryngologica, 1974, 78, 1-6:451-457

Mattioli F, Bergamini G et al., The role of early voice therapy in the incidence of motility recovery in unilateral vocal fold paralysis. Logoped Phoniatr Vocol, 2011, 36:40-47

Terris D, Arnstein D, Nguyen H, Contemporary evaluation of unilateral vocal cord paralysis (review). Otolaryn Head and Neck Sur, 1992; 107:84-90

Sapundzhiev N, Lichtenberger G, Eckel HE, Friedrich G, Surgery of adult bilateral vocal fold paralysis in adduction: history and trends. Eur Arch Otorhinolaryn, 2008, 265(12):1501-14

Friedman AD, Burns JA, Heaton JT, Zeitels SM, Early versus late injection medialization for unilateral vocal fold paralysis. Laryncoscope, 2010, 120:2042-46

Gorphe, P et al., Endoscopic laser medial arytenoidectomy for treatment of bilateral vocal fold paralysis. 2013, Arch Otorhino, 270:1701-05

Phua CQ, Mahalin-Gappa Y, Homer J, Karagama Y, Injection laryngoplasty. The Otorhinolaryngologist, 2013, 6(2): 111-18

Hyodo M, Nishikudo K, Motoyoshi K, Laterofixation of the vocal fold using na endo-extralaryngeal needle carrier for bilateral vocal fold paralysis. Auris Nasus Larynx, 2009, 36(2):181-6

Testa D, Guerra G, Landolfo PG, Nunziata M et al., Current Therapeutic prospectives in the functional rehabilitation of vocal fold paralysis after thyrodectomy: CO2 laser aritenoidectomy. Int Journ of

Sur, 2014, S48-51

Dietrich M, Abbott KV, Gartner-Schimdt J, Rosen CA, The frequency of perceived stress, anxiety and depression in patients with common pathologies affecting voice. Journal of Voice, 2008, 22(4) 472-88

Publicado
2018-05-12
Como Citar
Sousa Ribeiro, I., & Alves, S. (2018). Paralisia das cordas vocais: 10 anos de experiência. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 55(2), 93-98. Obtido de https://journalsporl.com/index.php/sporl/article/view/390
Secção
Artigo de Revisão