Microlaringoscopia em suspensão – caracterização das lesões encontradas

Autores

  • Jorge Rodrigues Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal; Departamento de Anatomia, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, Porto, Portugal.
  • Roberto Estevão Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.
  • Ana Sousa Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.
  • Vânia Henriques Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.
  • Alexandra Gomes Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.
  • Patrícia Gomes Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.
  • Alexandre Mexedo Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.
  • Nuno Lousan Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa, Penafiel, Portugal.
  • Fausto Fernandes Serviço de Otorrinolaringologia, Centro Hospitalar do Alto Ave, Guimarães, Portugal.

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.368

Palavras-chave:

microlaringoscopia em suspensão, laringe, cordas vocais

Resumo

Diversas patologias podem afectar a laringe, deteriorando as suas funções. A laringoscopia indirecta e a nasofibroscopia laríngea são os métodos de avaliação inicial mais consensuais. A microlaringoscopia em suspensão permite uma observação detalhada, possibilidade de palpação dos tecidos e eventual biopsia. O presente trabalho tem como objectivo caracterizar as lesões da laringe que motivaram a realização de microlaringoscopias em suspensão.

Foram revistas retrospectivamente todas as microlaringoscopias em suspensão realizadas entre Janeiro de 1993 e Dezembro de 2014.

Analisaram-se 863 doentes, 68% evidenciaram lesões benignas, 8% displasia e 22% neoplasia maligna. Os pólipos foram encontrados em 40% dos casos. O papiloma escamoso observou-se em 2,8% dos doentes. O carcinoma epidermóide foi a neoplasia maligna mais encontrada, com predomínio acentuado no sexo masculino.

Os pólipos e nódulos foram as lesões benignas mais observadas. O papiloma escamoso apresentou frequência crescente. O carcinoma epidermóide da laringe é muito comum na nossa população.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Sasaki CT. Anatomy and development and physiology of the larynx. In: Goyal R, Shaker R (Eds). Part 1 Oral cavity, pharynx and esophagus. Nature Publishing Group; GI Motility Online. 2006. doi:10.1038/gimo7.

Hirano M. Clinical Examination of Voice. New York, Springer-Verlag, 1981.

Bouchayer M, Cornut G. Microsurgery for benign lesions of the vocal folds. Ear Nose Throat J. 1988;67:446-66.

Herrington-Hal BL, Stemple JC, Niemi KR, MChone MM. Description of laryngeal pathologies by age, sex and occupation in a treatment-seeking sample. Journal of Speech and Hearing Disorders. 1988;53:57-64.

Mossallam I, Kotby MN, Ghaly AF et al. Histopathological aspects of benign vocal fold lesions associated with dysphonia. In: Kirchner, JA (eds.) Vocal Fold histipathology: A symposium. SanDiego, College-Hill. 1986;pp65-80.

Lehman W, Widman JJ. Nonspecific granulomas of the larynx. In Kirchner, J.A. (eds.) Vocal Fold Histopathology: A Symposium. San Diego, College-Hill, pp. 97-107, 1986.

Melo ECM et al. Incidence of non-neoplasic lesion in patients with vocal complains. Rev Bras Otorrinolaringol. 2001 Nov/Dez;67(6):788-94.

Gillison ML et al. (2012). Prevalence of Oral HPV Infection in the United States, 2009-2010. The Journal of the American Medical Association. 2012;307(7):693-703.

Bakshi J, Panda NK, Sharma S, Gupta AK et al. Survival patterns in treated cases of carcinoma larynx in North India: a 10 years follow up study. Ind J Otolaryngol Head Neck Surg. 2004;56(2):99–103.

Goiato MC, Fernandes AUR. Risk factors of laryngeal cancer in patients attended in the oral oncology centre of Aracatuba. Braz J Oral Sci. 2005;4(13):741–744.

Núñez-Batalla F et al. The Diagnostic Role of Direct Microlaryngoscopy. Acta Otorrinolaringol Esp. 2007;58(8):362-6.

Sataloff RT, Spiegel J, Hawkshaw MJ. Strobovideolaryngoscopy: results and clinical value. Ann Otol Rhinol Laryngol. 1991;100:725-7.

Kleinsasser O. Pathogenesis of vocal cord polips. Ann Otol Rhinol Laryngol. 1982;91:378-81.

Thompson LD, Wenig BM, Heffner DK, Gnepp DR. Exophytic and papillary squamous cell carcinomas of the larynx: a clinicopathologic series of 104 cases. Otolaryngol Head Neck Surg. 1999;120:718–724.

Fraga S, Sousa S, Santos A, Melo M. Tabagismo em Portugal. Arquivos de medicina. 2005;19(5-6):207-229.

Publicado

2017-05-07

Como Citar

Rodrigues, J., Estevão, R., Sousa, A., Henriques, V., Gomes, A., Gomes, P., Mexedo, A., Lousan, N., & Fernandes, F. (2017). Microlaringoscopia em suspensão – caracterização das lesões encontradas. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 54(2), 111-117. https://doi.org/10.34631/sporl.368

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>