Paralisia das cordas vocais - 8 anos de experiência no Centro Hospitalar do Porto

Autores

  • Ana Costa Pereira da Silva Centro Hospitalar do Porto
  • Sara Sena Esteves Centro Hospitalar do Porto
  • Susana Vaz Freitas
  • Telma Feliciano Centro Hospitalar do Porto
  • Cecília Almeida e Sousa Centro Hospitalar do Porto

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.363

Palavras-chave:

paralisia das cordas vocais, tempo máximo de fonação, terapia da fala

Resumo

Introdução: A paralisia das cordas vocais (PCV) associa-se a morbilidade significativa por interferir na respiração, fonação, deglutição e tosse. Este trabalho visa avaliar os resultados funcionais da terapia da fala em doentes com PCV.

Material e Métodos: Este estudo incluiu doentes adultos com PCV submetidos a terapia da fala como tratamento exclusivo entre Junho de 2006 e Junho de 2014. Foram registados os dados demográficos, etiologia da paralisia, exame laringoscópico e resultados do tempo máximo de fonação (TMF) antes e após o tratamento.

Resultados: Dos 70 doentes incluídos no estudo, a maioria apresentava uma PCV unilateral pós-operatória. Após realização de terapia da fala, registou-se um aumento médio do TMF para todos os sons e uma aproximação do coeficiente s/z do valor de referência 1.

Conclusões: Os resultados obtidos neste estudo sugerem que a realização exclusiva de terapia da fala em doentes com PCV melhora objectivamente a sua função glótica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Ana Costa Pereira da Silva, Centro Hospitalar do Porto

Interna de 5º ano de ORL no Centro Hospitalar do Porto

Referências

Benninger, M S, Gillen, J B and Altaian, J S. Changing etiology of vocal fold immobility. The Laryngoscope, 1998;108: 1346–1350

Dankbaar JW and Pameijer FA. Vocal cord paralysis: anatomy, imaging and pathology. Insights Imaging. 2014:5:743–751

Ahmad S, Muzamil A, Lateef M. A Study of incidence and etiopathology of vocal cord paralysis Indian J Otolaryngol Head Neck Surg. 2002 Oct;54(4):294-6

Al-Khtoum N, Shawakfeh N, Al-Safadi E, Al-Momani O et al. Acquired Unilateral Vocal Fold Paralysis: Retrospective Analysis of a Single Institutional Experience. North American Journal of Medical Sciences. 2013;5(12):699-702

Merati AL, Halum SL, Smith TL. Diagnostic Testing for Vocal Fold Paralysis: Survey of Practice and Evidence-Based Medicine Review. Laryngoscope. 2006: 116(9):1539-52

Christina M P, Daria C M and Brian J P. Unilateral Vocal Cord Paralysis: A Review of CT Findings, Mediastinal Causes, and the Course of the Recurrent Laryngeal Nerves. RadioGraphics 2012 32:3, 721-740

Miller S. Voice therapy for vocal fold paralysis. Otolaryngol Clin North Am. 2004 Feb;37(1):105-19

Orestes MI, Neubauer J, Sofer E, Salinas J, Chhetri DK. Phonatory effects of type I thyroplasty implant shape and depth of medialization in unilateral vocal fold paralysis. Laryngoscope. 2014 Dec;124(12):2791-6

Kent RD, Kent J, Rosenbek J. Maximum performance tests of speech productions. Journal of Speech and Hearing Disorders 1987; 52: 367-87

Steffen L M, Moschetti M B, Steffen N H, Hanayama E M. Paralisia unilateral de prega vocal: associação e correlação entre tempos máximos de fonação, posição e ângulo de afastamento. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. 2004; 70(4), 450-455

Behlau M, Pontes P. Abordagem global na reabilitação vocal. In: Behlau M, Pontes P. Avaliação e tratamento das disfonias. São Paulo: Lovise; 1995. p. 189-262.

Cielo C A, Casarin M T. Sons fricativos surdos. Rev. CEFAC. 2008;10(3): 352-358

Publicado

2017-05-31

Como Citar

Costa Pereira da Silva, A., Sena Esteves, S., Vaz Freitas, S., Feliciano, T., & Almeida e Sousa, C. (2017). Paralisia das cordas vocais - 8 anos de experiência no Centro Hospitalar do Porto. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 54(3), 169-173. https://doi.org/10.34631/sporl.363

Edição

Secção

Artigo de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 3 > >>