Cordectomias laser - Casuística dos últimos dois anos do Hospital Egas Moniz

Autores

  • Filipa Oliveira Interna do Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Egas Moniz – Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Lisboa, Portugal
  • João Pimentel Interno do Complementar do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Egas Moniz – Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Lisboa, Portugal
  • Pedro Sousa Assistente de Otorriolaringologia do Hospital Egas Moniz – Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Lisboa, Portugal
  • Carlos Rêgo Assistente Graduado de Otorriolaringologia do Hospital Egas Moniz – Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Lisboa, Portugal
  • Fátima Cruz Assistente de Otorriolaringologia do Hospital Egas Moniz – Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Lisboa, Portugal
  • Madeira da Silva Director do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Egas Moniz - Centro Hospitalar Lisboa Ocidental, Lisboa, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.34631/sporl.131

Palavras-chave:

Carcinoma glótico, Comissura anterior, Cordectomia LASER, Radioterapia, Laringectomia, Recidiva, Morbilidade, Qualidade Vocal

Resumo

Os carcinomas glóticos em estadio inicial têm abordagens terapêuticas dispares consoante o cirurgião, a instituição ou o país em que são tratados. A radioterapia, as laringectomias parciais e a cirurgia transoral com LASER, são opções terapêuticas aceites e com resultados semelhantes no tratamento dos tumores glóticos em estadio inicial. A Cirurgia LASER nos últimos anos tem demonstrado ser uma opção com algumas vantagens relativamente às outras terapêuticas: bom controlo da doença, baixa morbilidade, boa preservação da função, baixo custo.

Neste trabalho avaliámos os doentes do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Egas Moniz com carcinomas glóticos em estadio inicial submetidos a Cordectomias Laser no período de Março de 2009 a Novembro de 2010, comparando-os com os resultados a médio prazo face à literatura internacional. Procurámos igualmente comprovar que é uma técnica segura, com bom resultado funcional, baixa morbilidade e bom controlo locoregional.

Foram diagnosticados catorze carcinomas pavimento-celular glóticos em estadio inicial no referido período. Destes, oito foram submetidos a Cordectomia Transoral com com LASER. Para inclusão no estudo os doentes tiveram um follow-up mínimo de seis meses. Verficou-se não haver recidiva tumoral em todos os doentes, bem como uma boa função laringea e qualidade vocal. Verificámos que a escolha da cirúrgia transoral com LASER de CO2 nos nossos doentes apresentou bons resultados oncológicos, uma boa relação custo-eficácia, baixa morbilidade e curto tempo de internamento. Concluímos tratar-se de uma opção terapêutica segura, eficaz, com bons resultados no controlo da lesão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Mohssen, A MD. Laser Surgery for Early Glottic Cancer-Impact of Margin Status on Local Control and Organ Preservation. Arch Otolaryngol Head Neck Surg. 2009;135(4):385-390

Hoffman, H T.; Buatti, J. Update on the endoscopic management of laryngeal cancer. Current Opinion in Otolaryngology & Head and Neck Surgery 2004, 12:525–531.

Arevalo, J D. Transoral Laser Resection for Early Glottic Cancer. ENT Today. March 2008.

Collins, T R.. Laser Treatment for Laryngeal Cancer: Good Results — and Complex Questions. ENT Today. May 2009.

Ledda, G P; Grover, N; Pundir, V; Masala, E et al. Functional Outcomes after CO2 Laser. Treatment of Early Glottic Carcinoma. Laryngoscope 116: June 2006.

Chone, C T.; Yonehara, E; Martins, J E. F.; Altemani, A et al. Importance of Anterior Commissure in Recurrence of Early Glottic Cancer After Laser Endoscopic Resection. Arch otolaryngolol head neck surg/vol 133 (Nº. 9), Sep 2007.

Sjögren, E V.; Rossum, M A.; Langeveld, T P. M.; Voerman, M S. et al. Voice Outcome in T1a Midcord Glottic Carcinoma Laser Surgery vs Radiotherapy. Arch Otolaryngol Head Neck Surg. 2008;134(9):965-972.

Sengupta, N; Morris, C G.; Kirwan, J; Amdur, R J. et al. Definitive Radiotherapy for Carcinoma In Situ of the True Vocal Cords. American Journal of Clinical Oncology, Volume 33, Number 1, February 2010.

Vilaseca, I; Huerta, P; Blanch, J L; Fernández-Planas, A M et al. Voice Quality After CO2 Laser Cordectomy — What Can We Really Expect? Head & Neck—DOI 10.1002/hed January 2008.

Steiner, W; Ambrosch, P; Rodel, R M.; Kron, M. Impact of Anterior Commissure Involvement on Local Control of Early Glottic Carcinoma Treated by Laser Microresection. Laryngoscope, 114:1485–1491, 2004.

Gallo, A; Vincentiis, M; Manciocco, V; Simonelli, M et al. CO2 Laser Cordectomy for Early-Stage Glottic Carcinoma: A Long-Term Follow-up of 156 Cases. Laryngoscope, 112:370–374, 2002.

Mortuaire, G.; Francois, J.; Wiel, E.; Chevalier, D.. Local Recurrence after CO2 Laser Cordectomy for Early Glottic Carcinoma. Laryngoscope, 116:101–105, 2006.

Bocciolini, C; Presutti, L.; Laudadio, P.. Oncological outcome after CO2 laser cordectomy for early-stage glottis carcinoma. Acta Otorhinolaryngol Ital 25, 86-93 2005.

Remacle, M. Surgery of Larynx and Trachea. Verlag Berlin Heidelberg: Springer. 2010.

Como Citar

Oliveira, F., Pimentel, J., Sousa, P., Rêgo, C., Cruz, F., & Silva, M. da. (1). Cordectomias laser - Casuística dos últimos dois anos do Hospital Egas Moniz. Revista Portuguesa De Otorrinolaringologia E Cirurgia De Cabeça E Pescoço, 50(1), 27-32. https://doi.org/10.34631/sporl.131

Edição

Secção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>